• Estratégia Parlamentar

Como Lula deverá construir a sua imagem para 2022



O objetivo desse texto é mostrar a você como se desenrola os bastidores das estratégias políticas para a construção de imagem dos futuros candidatos para disputas eleitorais acirradas.


Lula lá ou Lulinha paz e amor? O que veremos daqui pra frente.


O impacto da Anulação dos processos contra o ex-presidente Lula na disputa eleitoral de 2022, se mostrou uma excelente oportunidade de trazer essa análise que é muito pensada por profissionais de marketing político de grandes campanhas.


Se confirmada a decisão do ministro Fachin, do STF, as regras do jogo eleitoral mudam completamente, trazendo um cenário até então não considerado.


E justamente por isso, agora é o momento de você afinar o seu olhar, colocar os óculos do estrategista político e observar daqui pra frente, como Lula poderá construir sua imagem para a disputa eleitoral de 2022.


Confira o que deverá ser considerado na estratégia de comunicação do Ex-presidente:



1. Lula deverá pensar em qual imagem deve passar


A escolha do arquétipo será fundamental para toda a sua estratégia de comunicação política, e já devemos ver esse movimento nas próximas semanas.


Lula deverá escolher entre o Arquétipo do Herói ou do Prestativo.


Para que Lula tenha maiores chances, o ideal é se distanciar do Arquétipo de Bolsonaro que hoje utiliza elementos de Arquétipos do Cara Comum e traços do Herói, para fortalecer a sua imagem. Se Lula utilizar o arquétipo do prestativo aliado ao do governante, poderá passar a imagem de segurança que muitos brasileiros tem sentido falta no governo atual, aproveitando assim a brecha, deixada por Bolsonaro.


2. Capacidade de Adaptação – Tom e Linguagem


O tom e a linguagem também serão decisivos daqui para frente.


Lula deverá escolher se virá com a roupagem do Lula de 89 de uma esquerda radicalizada ou o Lulinha paz e amor que agradou gregos e troianos em 2002.


Sua capacidade de adaptação, deverá estar mais afiada do que nunca e nessa história, contará também a analise de Lula e sua equipe para encontrar caminhos de fortalecer o anti-bolsonarismo e usar esse fortalecimento a favor de Lula.



3. Bolsonaro é seu próprio adversário nesse momento


Esse é um fator que está fora do controle de Lula, mas joga a seu favor: O Governo Bolsonaro precisa melhorar seus resultados na Economia e na Saúde e conduzir seu governo de forma menos caótica e imprevisível. Caso contrário, terá um desgaste de sua imagem que talvez não consiga reverter no curto prazo que ocorrem as eleições.


Conta a favor de Bolsonaro, o cenário de reviravolta, mas ainda indefinido para Lula. O momento é de o presidente usar o tempo a seu favor, e correr para apresentar resultados até 2022.


4. Posicionamento


As chances de Bolsonaro e sua possível vitória se consolida, se Lula cair na armadilha de não construir um posicionamento alinhado ao cenário atual e por rancor, vaidade ou erro de estratégia, se enquadrar na imagem que Bolsonaro quer imprimir ao ex-presidente. Nesse momento, o que está em jogo é a emoção versus a razão, além de uma análise certeira do adversário. Qualquer erro pode ser fatal para qualquer um dos lados daqui pra frente.


5. Polarização moderada


As pessoas estão cansadas da polarização, logo Lula deverá pensar muito bem em como fazer uma polarização que agrade também pessoas que estão cansadas dela, esse não é um grande desafio para o ex-presidente que mostrou ser capaz de fazer isso em disputas passadas. A questão é: Ele quer fazer ou vestirá a imagem de Herói que fala mais para a sua base do que para fora dela?



6. Outro arquétipo possível


Lula também poderá fugir dos arquétipos mais tradicionais da política e usar a mesma estratégia de Biden, que usou aspectos do Arquétipo do Sábio para gerar empatia e conferir leveza a sua comunicação. Ao se apresentar como o velho presidente que foi bom para o povo, Lula polariza de forma moderada e ganha pontos fora de sua base.


7. Flexibilização – onde mora a vantagem de Lula e a fraqueza de Bolsonaro


Outro ponto que está fora de controle de Lula, mas conta a seu favor, é que Bolsonaro não consegue se adaptar. Além de ser mais rígido em seus discursos, falas e posicionamentos abre sua guarda e expõe demais sua falta de habilidade de adaptação, fator essencial para quem exerce o cargo máximo do país. O que pode ser uma desvantagem para o presidente, pode ser uma oportunidade para o ex-presidente.


8. Quando o cenário estará definido?


Tudo o que for dito agora, não passa de análise e especulação. Mas elas são importantes para observar o movimento que pegou de surpresa muita gente, inclusive o próprio ex-presidente. O cenário se definirá mesmo em maio de 2022, que é quando a disputa (se confirmada) começa a pegar fogo.



Procure observar o cenário com racionalidade, qualquer viés ideológico nesse momento, poderá comprometer sua análise. O bom profissional de marketing político é aquele que sabe separar razão de emoção em momentos como esse. Pense nisso.